May 20, 2021

María Isabel Muñoz mora em La Mona, uma área rural a 18 quilômetros do centro de Los Angeles, no Chile. Vacinar a mãe de 95 anos significaria para ela conseguir um meio de transporte, acompanhá-la ao posto de vacinação e ficar na fila a acompanhando. Mas é muito difícil, disse Muñoz, porque sua mãe tem mobilidade reduzida e elas não têm carro próprio. Por isso, não hesitou em aproveitar a passagem da clínica móvel perto de sua casa para vaciná-la. “Eu estava pensando em ir para Los Angeles para vaciná-la, mas é difícil para mim fazer sua locomoção. Muito bom. Muito grata, porque vieram aqui para aplicar a vacina na mina mãe”, disse ela.

A mãe de Muñoz recebeu uma das mais de 3.600 doses de vacinas administradas entre fevereiro e maio deste ano por clínicas móveis que, por estradas de terra e rotas não sinalizadas, percorreram setores rurais da região do Biobío e de La Araucanía. A iniciativa é um esforço conjunto desenvolvido pelo “Desafío Levantemos Chile” e CMPC, organizações que possuíam um veículo totalmente equipado e treinado para cadastrar online as pessoas que recebem as vacinas contra Covid-19 e Influenza.

Professores, idosos, crianças, pessoas com deficiência, doenças crônicas e vizinhos com problemas de transporte foram atendidos durante os três meses de duração da campanha. Angélica Flores, enfermeira do Cesfam Nordeste, em Los Angeles, explicou que “as pessoas não têm acesso por conta própria para ir a outros centros para se vacinar, devido à distância, problemas de mobilidade e patologias que apresentam. Então, com uma abertura tremenda, as pessoas ficaram muito gratas.”

Valeria Marín, dona de casa do setor El Olivo, diz que esta iniciativa lhe convém, pois não pode levar os sogros para fora de casa, pois eles não têm transporte próprio. “Essa iniciativa é fantástica, porque para mim, pelo menos, é extremamente difícil poder levá-los ao consultório médico com o sistema de fila, porque você tem que esperar. Que eles venham aqui é uma ajuda tremenda”, disse.

O coordenador do “Desafío Levantemos Chile” de Los Angeles, Juan Antonio Rebolledo, considerou que a campanha foi um grande sucesso, já que a clínica móvel já percorreu mais de 20.000 quilômetros, distância maior que a existente entre a China e o Chile. 

“Percebemos que nessas realidades muitas vezes as pessoas acamadas e as pessoas do meio rural são as que, normalmente, têm mais dificuldades de acesso para poder se vacinar”, disse Rebolledo.

De acordo com os respectivos Serviços de Saúde, 1.751 pacientes foram imunizados em Biobío e 1.588 pessoas em La Araucanía, em ambas as áreas 7 cidades foram visitadas respectivamente, alcançando um total de 14 comunas, que em alguns casos foram visitadas duas vezes para cobrir um maior número da população.

O gerente de Assuntos Corporativos da CMPC Zona Sur, Augusto Robert, destacou que esta campanha é muito relevante porque beneficia justamente pessoas que vivem em setores próximos à empresa e um dos objetivos da CMPC é se conectar com esses vizinhos rurais. 

“Aproveito também para agradecer aos serviços de saúde de Biobío e de Malleco, que colaboraram conosco, nos apoiaram e nos permitiram esta jornada, que é conseguir a imunidade dentro do país e obviamente poder chegar aos setores mais remotos, à ruralidade”, disse.

Quem teve a oportunidade de ver de perto os beneficiados das clínicas móveis foi um de seus motoristas, Luis Medina. Ele garantiu que tudo valeu a pena, pois, caso contrário, os moradores da província teriam que continuar esperando a vacina. 

“Tive a oportunidade de conhecer realidades muito diferentes, algumas muito cruéis. Dá muita satisfação poder colaborar e chegar a lugares muito distantes, muito remotos, com o processo de vacinação, até pessoas que, se não fosse pelo veículo, pela clínica, não teriam a oportunidade de se vacinar ”, acrescentou. Medina.

A jornada deste ano corresponde à segunda instância de clínicas móveis desenvolvidas por “Desafío Levantemos Chile” e CMPC. No ano passado, as entidades realizaram a primeira edição da Campanha de clínicas móveis, também aliadas aos serviços de saúde.