February 9, 2021

A espetacular cachoeira de 60 metros de altura Chancagua é o ícone da rota Destino do Salto Chancagua Taiñ Folil, que, alimentada por vários estuários, faz parte de uma das mais belas cachoeiras da região da Araucania, no sul do Chile.

Neste destino único, vários empreendimentos promovem o etno-turismo que nos permite conhecer a cultura Mapuche; apreciar o trabalho dos artesãos de cerâmica Piutril, que fazem metawes ou jarros Mapuche; acampar em seus acampamentos; e adquirir hortaliças e diversas frutas silvestres, cultivadas pelas famílias das comunidades do entorno da Rota -23 Huapitrio, no município de Collipulli. 

Neste percurso, muitas famílias possuem iniciativas em torno do turismo, como Dania Morales com a sua “Ruka Domu Gürekave” (casa da tecelã), espaço onde expõe o seu artesanato em tecelagem em lã de ovelha e colorido com folhas e ervas que a natureza concede.

“Minha bisavó, minha avó, minha mãe e agora eu tricotava. Para mim é importante porque meus ancestrais o fizeram e é algo que não quero perder e gosto de fazer. A ideia é ensinar e repassar, e embora eu só tenha filhos, todos sabem tricotar. Tenho que tentar não perder o hábito”, diz Dania. 

 

Para fortalecer esta alternativa turística, a CMPC em conjunto com a Prefeitura de Collipulli trabalharam em projetos de melhoria de infraestrutura como um mirante de madeira para observação da flora e fauna do entorno das Cataratas do Chancagua; três quiosques para comercialização de produtos; banheiros para os campings do setor; painéis de informações; contentores para reciclagem e sinalizações, entre outras obras. 

Todas estas instalações foram entregues oficialmente esta semana, onde uma oração mapuche ou Llellipun deu lugar à inauguração das obras que estão disponíveis neste destino. 

A presidente da Associação de Turismo Taiñ Folil, Lugardi Venegas, destacou o apoio das instituições públicas e privadas como a empresa CMPC. “Essa contribuição da CMPC que recebemos é muito importante. A realização de um sonho para o nosso grupo e as necessidades do nosso povo. Esse é um roteiro completo onde oferecemos gastronomia, cerâmica, camping e mais para frente queremos incorporar algumas cabanas. Para nós, como família Mapuche, esta atividade é muito importante, porque podemos seguir em frente, ter uma melhor qualidade de vida e os nossos filhos podem ser educados”. 

O assessor da Unidade de Desenvolvimento Econômico Local do município de Collipulli, Alejandro Fariña, destacou que “como município estamos muito felizes que a CMPC tenha dado ênfase a esta rota de destino Chancagua, que é uma alternativa turística que o bairro de Collipulli possui. Este investimento que a empresa privada está fazendo permitirá aos membros do grupo Taiñ Folil a terem espaços para comercializar os seus produtos em qualquer época do ano”.

O pulo como um empreendimento

Embora por muitos anos apenas os moradores do setor e parentes da família Campos Isla desfrutassem dessa maravilha da natureza, em 1990 surgiu a ideia de compartilhá-la com outras pessoas, nasceu então o acampamento “Salto de Chancagua”, onde duas famílias trabalham, disse Margarita Contreras. 

“A entrada para o mirante do salto é gratuita, mas para acessar a infraestrutura do acampamento é preciso pagar. Temos 45 pousadas e 20 locais habilitados para camping. Hoje, com a pandemia, temos de cumprir com uma certa quantidade de pessoas, que depende da fase em que se encontra o município”, afirma Margarita. 

O subgerente de Relações Públicas da CMPC, Ignacio Lira, destacou que “o turismo e o desenvolvimento produtivo local bem feitos aumentam a renda econômica das famílias, de tal forma que, como empresa, vimos que como um vizinho a mais do território pode contribuir para melhorar a qualidade de vida das pessoas, promovendo e executando bons projetos, assim como temos promovido em outras áreas da Araucania e de Biobío”. 

“Com este projeto da CMPC melhoramos alguns espaços, como o mirante que foi construído para observar o salto de frente e que possui painéis informativos que relatam as características do salto e seu ambiente natural. Além disso, o projeto de melhoria nos deu contentores de reciclagem, que nos permitem promover um turismo sustentável, sem lixo, para cuidar e proteger o meio ambiente”, afirma Margarita.

 

Proteção sanitária 

Todas as instalações da rota contam com as medidas sanitárias necessárias – realizadas pelo programa Arriba Todos Juntos da CMPC – para receber os turistas com maior segurança e, assim, ajudar a prevenir a disseminação do coronavírus. 

 

“Nós no campo não tínhamos essas coisas de higiene e para nós este é o momento em que mais se precisa que essas pessoas ponham a mão, deem um apoio, por isso é muito importante”, diz Dania Morales. 

 

Para mais informações e/ou números de contato dos empreendimentos da Rota Destino Salto Chancagua Taiñ Folil, é possível escrever para o Escritório de Turismo do Município de Collipulli: turiscollipulli@gmail.com   / Facebook: Turismo Collipulli

Ou entre em contato através do telefone: +45 2 88 63 22 (Atendimento de segunda a sexta-feira, das 09 às 14 horas).