November 17, 2022

A iniciativa foi reconhecida como um exemplo de ações transformadoras em prol da natureza no setor florestal. Com isso, foi possível reaproveitar 600 mil toneladas de resíduos por ano no estado do Rio Grande do Sul, Brasil.

No âmbito da COP27, 15 empresas líderes do Grupo de Soluções Florestais (FSG) do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, devido as suas siglas em inglês) publicaram na quinta-feira a Fase I do Roteiro da Natureza Positiva do Setor Florestal, que mostra como as empresas líderes do setor florestal estão abrindo caminho para interromper e reverter a perda da natureza, definindo metas e objetivos relacionados à natureza baseados na ciência e revelando o progresso usando métricas mensuráveis.

Entre as iniciativas, destacou-se VIDA da CMPC, que é desenvolvido no Rio Grande do Sul, no Brasil, e por meio do qual a empresa trata 99% dos resíduos do processo industrial de sua fábrica neste estado brasileiro.

O projeto, que foi realizado em colaboração com a Vida Produtos e Serviços, empresa local especializada na reciclagem de resíduos sólidos, está sendo desenvolvido em uma fazenda de 99 hectares onde são tratadas cerca de 600 mil toneladas de resíduos por ano, reduzindo assim as emissões de gases com efeito de estufa (GEI), a poluição e promovendo a economia circular. Desta forma, os resíduos são reaproveitados para gerar 15 novos produtos para a agricultura, jardinagem e outras atividades, incluindo fertilizantes orgânicos, bandejas de ovos e palmilhas de sapatos.

“Este reconhecimento da recuperação de resíduos que realizamos no Brasil reafirma nosso compromisso com a sustentabilidade, que é parte central de nossa estratégia como empresa. Na CMPC, subscrevemos uma série de compromissos ambientais globais e estabelecemos várias metas para avançar para operações e cadeias de valor muito mais sustentáveis. Através de iniciativas como a VIDA, avançamos na consecução destes objetivos”, afirma Francisco Ruiz-Tagle, gerente geral da CMPC.

Desde 2011 a CMPC é membro do Grupo de Soluções Florestais (FSG) do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD), colaborando na construção e apresentação do Roteiro. Este ano, Francisco Ruiz-Tagle, gerente geral da empresa, foi escolhido como um dos 19 diretores executivos do grupo. Ruiz-Tagle é o único latino-americano do grupo.
Entre as empresas que compõem o WBCSD, estão algumas das mais relevantes globalmente de todos os tipos de indústrias, do financeiro ao automotivo, passando pelos setores florestal, energético, grande tecnologia, consumo de massa, laboratórios e consultorias, entre outros setores.

Apple, Amazon, Bayer, BMW, Bridgestone, Chevron, Danone, Google, IKEA, Honda, IBM, Komatsu, KPMG, Mastercard, McDonalds, Mercedes Benz, Microsoft, Nestlé, PepsiCo, Pirelli, P&G, Philips, Santander, Shell, Stora Enso, Toyota, Unilever, Walmart, Volkswagen e Walmart, são algumas das empresas que fazem parte do grupo.

Um roteiro positivo para a natureza

Este ano, as emissões de gases de efeito estufa para o meio ambiente atingiram um novo recorde mundial. De acordo com o último relatório do Global Carbon Project de mais de 100 cientistas, espera-se que até o final de 2022 estes atinjam 40,6 bilhões de toneladas.

Além disso, de acordo com o relatório sobre o efeito das mudanças climáticas elaborado pela Direção Meteorológica do Chile, 2021 foi o quarto ano mais quente no país em mais de um século. E os últimos 11 anos foram os mais quentes já registrados. Em outras palavras, a natureza está mais ameaçada hoje do que em qualquer outro momento da história humana.
É por isso que, buscando contribuir para um futuro ambientalmente positivo, os membros do Grupo de Soluções Florestais (FSG) publicaram a Fase I do Roteiro da Natureza Positiva do Setor Florestal, o primeiro de vários outros esforços semelhantes em outros setores representados no WBCSD.

A Fase I reúne o setor florestal em torno de uma definição compartilhada de “natureza positiva” que se baseia em ações concretas para deter e reverter a perda de natureza ao longo de todo o ciclo de vida dos produtos florestais.

As empresas que fizeram parte do desenvolvimento deste relatório são BTG Pactual, Timberland Investment Group, CMPC, Drax, Enviva, Manulife Investment Management, International Paper, Mondi, New Forests, Philip Morris International, Sappi, Smurfit Kappa, Stora Enso, Sumitomo Forestry, The Navigator Company e Weyerhaeuser .