July 8, 2022

14 pequenas e médias empresas concluíram sua capacitação na primeira versão do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais, implantado pela CMPC. Espera-se que até final do ano, sejam pelo menos 100 os fornecedores capacitados através desta iniciativa.

“Temos uma vasta experiência no assunto, eu parti com minha mãe aos 8 anos. Estamos localizados em Mininco, portanto temos uma rápida resposta, ferramentas que vão se modernizando cada vez mais e que também são sustentáveis com o meio ambiente”, conta Patrício Sperje quando fala de seu negócio “Sperlimp”, ele que é fornecedor da CMPC trabalhando em limpeza e higienização na papeleira.

Como ele, foram 14 pequenas e médias empresas das regiões de Biobío e da Araucanía, as que participaram na primeira edição do Programa “Desenvolvimento de Fornecedores Locais”, uma iniciativa dirigida a potencializar o crescimento e o fortalecimento das empresas de transportes e de serviços de manutenção e limpeza industrial.

Assim, 14 PEME das comunas de Nacimiento, Laja, Angol, Collipulli e Loncoche, todos fornecedores locais dos negócios de celulose e biopackaging, fizeram parte desta primeira etapa do programa.

“Eu valorizo muito porque é uma grande ajuda para nós. Ainda que eu seja profissional e tenha meus estudos, através do tempo algumas práticas vão se perdendo. No meu caso, aqui me ajudaram a refrescar os conhecimentos e modernizá-los. O que mais me ajudou neste programa é o poder chegar aos clientes e procurar por mais oportunidades de trabalho”, conta Patricio.

A iniciativa que nasceu em 2021 constou de quatro etapas: diagnóstico, brechas e oportunidades de melhora, fortalecimento e acompanhamento. É assim como, durante seis meses, o programa teórico e prático foi executado pela Corporação Industrial para o Desenvolvimento Regional, Cidere Biobío, abordando temas como a competitividade, novos negócios, habilidades diretivas, gestão financeira, comunicação, sustentabilidade, entre outros.

A CH Industrial é uma empresa que realiza a manutenção mecânica industrial, trabalhando com a CMPC Laja, Pacífico e Nacimiento. Seu proprietário e gerente, Carlos Hidalgo, foi parte da primeira versão do programa. “Reforçamos conhecimentos e aplicamos novas técnicas para trabalhos que fazemos regularmente. Nos ajudou a nos organizarmos como empresa. Valorizo muito e agradeço o convite para este programa, gostei muito de aprender, saber em que estava falhando e poder melhorar”, conta.

A cerimônia de encerramento, realizado em Los Ángeles, teve a participação do gerente geral da CMPC, Francisco Ruiz-Tagle. Na ocasião, disse que “como temos dito, a CMPC definiu como parte de sua estratégia de sustentabilidade e de envolvimento com as comunidades, ser um fator de impacto de desenvolvimento e acredito que isto está se cumprindo. Este tipo de trabalho valoriza a vida de uma empresa; a CMPC necessita da comunidade e do empreendimento, da inovação e do desenvolvimento local. Acredito que este é um modelo de gestão de valor compartilhado que é o que mais valorizamos como empresa”.

Finalmente, e devido ao êxito desta iniciativa, anunciou-se a expansão deste programa e espera-se que até fins de 2022 sejam 100 os fornecedores capacitados.