January 6, 2023

Com o objetivo de abrir o Estádio Papeleiro aos residentes para o benefício da atividade física, Ucelandia chega pelo terceiro ano a Puente Alto, o programa recreativo que a CMPC juntamente com o Clube Esportivo da Universidade Católica promove durante o mês de janeiro, para proporcionar momentos de recreação para crianças de 4 a 13 anos.

Mais de 120 crianças participaram no primeiro dia da terceira versão dos workshops de verão em a comuna de Puente Alto (Santiago, Chile), que nesta ocasião será realizado em dois períodos de duas semanas cada um, do dia 3 ao dia 13 de janeiro o primeiro e dos dias 16 ao 27 o segundo.

Jogos pré-esportivos e recreativos, dinâmicas com água, parede de escalada, piscina e workshops ecológicos são as atividades que serão realizadas nesta temporada. De 4 a 6 anos, os participantes do “Mini Ucelandia ” poderão compartilhar com outros colegas em workshops focados em artesanato, arte, esportes, exercícios de motricidade e atividades na piscina, das 9h às 13h da tarde, enquanto as crianças dos 7 aos 13 anos participarão em um dia inteiro, das 9h00 às 18h00, com almoço incluído, na sua maioria jogos desportivos e recreativos, bem como atividades com água e na piscina.

“Para abrir o Estádio Papelero à comunidade, nasceu a ideia de trazer a Ucelandia para Puente Alto e poder proporcionar um espaço para as crianças praticarem esportes, se divertirem e que nas férias possam fazer atividades que não sejam estar em frente da tela. Estamos muito felizes que, neste terceiro ano, possamos continuar oferecendo um espaço para que os pais proporcionem segurança e diversão para seus filhos”, disse Pía Fernández, chefe de vinculação da CMPC, na inauguração dos workshops.

Tendo segurança, alimentação e recreação como fatores primordiais, a missão da Ucelandia é promover e desenvolver o esporte, sempre promovendo valores em cada ação do programa. “O fato das crianças se repetirem para nós todos os anos significa que o trabalho está sendo bem feito, que elas querem vir. As crianças se divertem muito, fazem muitos amigos, esquecem os celulares e as telas por duas semanas, e para nós, professores de Educação Física, é uma luta que temos todos os dias. Eles saem muito felizes, cansados, mas felizes”, comentou o coordenador geral da Ucelandia, Roberto Lizana.

Isso foi corroborado por Inés Díaz, moradora de Puente Alto, cujo neto voltou a participar dos workshops de verão: “É fantástico, principalmente para as crianças, elas se distraem nas férias. É o segundo ano que ele vem e ele está muito feliz, caso contrário, estaria em casa comigo, jogando em seu PlayStation, e isso não é muito bom para as crianças.”

“Esse já é o terceiro ano que trago minhas meninas. Elas se divertem, brincam, gostam de vir, na verdade, elas nos pedem para vir sozinhas ao acampamento. Chegam cansadas porque fazem atividades o dia todo e acordam motivadas para vir”, acrescentou María Macarena Inostroza, mãe de quatro filhas que juntas participam desta nova versão da Ucelandia.

Além de ser uma instância para as crianças aproveitarem das férias, a Ucelandia chega para apoiar alguns dos problemas deixados pela pandemia após a quarentena, como avalia Claudia Valdebenito, cujos dois filhos aderiram às atividades do Estádio Papelero, na CMPC: “É uma atividade que eu não tinha em mente e vai fazer muito bem para as crianças se socializarem pós-pandemia, porque ainda têm um longo caminho a percorrer para se integrarem com outras crianças.”

Entre os participantes, aproximadamente 35% correspondem a filhos de trabalhadores da CMPC em Puente Alto. É o caso de Francisco González, especialista em prevenção de riscos da Planta Moldeados, que matriculou seus dois filhos nos workshops pelo segundo ano. “Nós, como trabalhadores e pais, agradecemos. Para nós, a questão dos cuidados com os filhos é complicada, porque como eles não estão indo na escola temos de deixa-los em algum lugar e esta atividade nos apoia no sentido de ter um lugar onde eles possam se divertir e nós podemos trabalhar. Eles estão super felizes e desesperados para chegar, nem dormiram ontem à noite”, disse.

Essa também é a opinião de Jocelyn Lavanderos, supervisora de qualidade da Planta de Moldados que levou a filha pela primeira vez à Ucelandia. “Para nós é super importante ter essas oportunidades que a empresa nos dá. O verão é sempre uma estação mais complicada para nós pais que estamos no escritório, então essas instâncias são super boas”, comentou.