janeiro 15, 2019

Os incêndios rurais causam grandes danos à superfície queimada, uma vez que comprometem a vegetação, a fauna, o solo, os ciclos de água e do carbono, a regulação do clima, a economia das áreas afetadas e os espaços recreativos, bem como a população local. Comprometem consideravelmente a biodiversidade, a economia e a sociedade em geral.

E é por isso que a CMPC vem trabalhando ao longo do ano para prevenir os incêndios florestais no Chile.  Nesta temporada de verão (2018-2019), a empresa vem empreendendo três linhas de ações: Prevenção Comunitária, Silvicultura Preventiva e uso de Tecnologia de Alta Qualidade.

Pensando que a Prevenção Comunitária tem se transformado nos últimos anos uma das nossas prioridades, realizamos diversas atividades com os grupos de interesse que residem nas proximidades das propriedades da CMPC.

Para os alunos das comunidades de entorno, a empresa vem promovendo palestras e oficinas educativas sobre os benefícios da fauna e da flora, o cuidado com meio ambiente, assim com o impacto das ações humanas sobre o ecossistema. A CMPC, em conjunto com a Corporação Nacional da Madeira, também realiza treinamentos específicos para o corpo de bombeiros, membros do exército e pilotos, além da implantação de diversos comitês, dos quais já totalizam 300 agrupações em todo o Chile, que amparam as atividades de prevenção.

Por outro lado, e com o apoio da comunidade vizinha, facilitamos a organização de Associações de Vigilância e estabelecemos zonas monitoramento ativa especialmente em áreas de interfaces urbanas, disponibilizando 80 vigilantes fixos por dia em temporada alta.

 

Silvicultura preventiva e tecnologia de alta qualidade

 

Através da silvicultura preventiva realizamos ações de ordenação da flora existente e eliminação de resíduos vegetais, a fim de evitar os de incêndios florestais, conter sua propagação e, consequentemente, mitigar os possíveis danos.

Neste intuito, tem-se tipificado os anéis de defesa, principalmente em áreas povoadas e interfaces urbano-rurais (faixas de terra interpostas entre as áreas agrícolas e florestais), com o objetivo de reduzir progressivamente a carga de combustível, retardar um eventual incêndio, criar um espaço de defesa e evitar a propagação de incêndios. Nestes casos, e dependendo da ocorrência, são aplicados três níveis defensivos: corta fogo em solo mineral, áreas com redução de combustível e o anel de manejo vegetal preventivo (desbaste e/ou poda).

Com todas essas ações, acrescentadas as de 2017, no final do ano passado conseguimos reintegrar quase dois mil hectares às zonas de proteção de interfaces urbano-rurais nas regiões de Maule e La Araucanía. Nestas localidades, restabelecemos interconexões agrícolas e industriais de aproximadamente 300 terrenos próprios e de proteção direta e de 8.500 residências particulares.

Ao mesmo tempo, a tecnologia de última geração vem cumprindo uma tarefa fundamental: colaborar com a detecção antecipada de possíveis incêndios e coordenar as ações necessárias para sua prevenção e combate.

Ainda nesta temporada, a CMPC adquiriu o software análise Wildfire Analyst, que estuda em tempo real o comportamento do fogo e simula sua propagação num período de até seis horas, permitindo assim o estabelecimento e implantação das melhores estratégias de ação.

Também estão em funcionamento câmeras aéreas infravermelhas e térmicas de alta definição para monitoramento na propagação dos incêndios.  

 

Estamos sempre vigilantes

 

Além de todos os esforços feitos para evitar incêndios florestais, na temporada 2018-2019 a CMPC também forneceu recursos de combate dos quais incluíram cerca de 30 milhões de dólares.  

Este valor foi aplicado na contratação de 1.100 funcionários, dos quais, 800 brigadistas e 20 aeronaves, incluindo o mega helicóptero Chinook, que pelo segundo ano consecutivo será operado pela CMPC no combate incêndios nas interfaces. Este helicóptero está habilitado para atuar em todas as áreas, sejam de propriedades da CMPC ou de terceiros, áreas habitadas e florestas nativas.

O Chinook tem uma capacidade de carga de 12 toneladas (com ferramentas de combate). Sua autonomia de lançamento chegam a 10 mil litros de água através do “Bambi Bucket” (cesta), cuja altura atinge os 60 metros, permitindo chegar a uma profundidade mínima de 50 centímetros em superfícies aquáticas – canais, lagoas, lagos, rios, piscinas – com um abastecimento entre 60 a 90 segundos.