March 3, 2021

Com um belo ambiente natural de 11 hectares de superfície e com uma centena de espécies nativas, várias delas em perigo de extinção, como o Toromiro, o Ruil, o Guindo Santo, o Michay Rojo, a Araucária e o Alerce, entre outras, o Parque Alessandri de Coronel continua agregando conquistas em sua trajetória de 26 anos a serviço da comunidade da Região do Biobío.

A partir deste ano, o parque passa a integrar oficialmente a Rede de Centros de Educação Ambiental, iniciativa criada pelo Ministério do Meio Ambiente em 2017 e que reúne mais de 50 instituições públicas e privadas de todo o país, sendo 26 centros de educação ambiental e 15 parques ou reservas nacionais.

Esta Rede surge para responder à crescente procura de formação dos cidadãos em matéria de meio ambiente e educação ambiental ao ar livre. Este trabalho colaborativo busca promover e divulgar as atividades dos diferentes membros para potencializar iniciativas, gerar oportunidades de aprimoramento do conhecimento por meio de seminários e treinamentos, além de dar visibilidade aos seus programas educacionais e melhorar o acesso à oferta de propostas aos diferentes públicos.

Soma-se a isso a ideia de fortalecer e valorizar o trabalho desenvolvido por múltiplas instituições públicas e privadas que visam educar a população no cuidado e proteção do meio ambiente.

O Subsecretário de Meio Ambiente, Javier Naranjo, saudou dizendo que “nós do Ministério do Meio Ambiente damos as boas-vindas ao Parque Alessandri de Coronel, que integra nossa rede de Centros de Educação Ambiental. Parabenizamos muito a Fundação CMPC pelo trabalho educativo do Parque Alessandri ao longo de quase três décadas, o que está muito alinhado com a nossa missão institucional em favor do cuidado do patrimônio ambiental do nosso país”.

A diretora da área de Cultura da Fundação CMPC, Maite Artiagoitia, explica que o Parque Alessandri vem realizando esse trabalho de educar a população para proteger o meio ambiente há quase três décadas, por isso a notícia “é uma ratificação do trabalho que cumprimos e vem para aprimorar nossas linhas de atuação junto aos nossos públicos e nossa equipe. Isso nos dará um novo impulso para continuar com esse belo trabalho”.

 

Ela acrescenta que esta é uma conquista para toda a equipe que compõe o parque e, ao mesmo tempo, um tremendo desafio que eles assumem com grande entusiasmo. “Estamos muito contentes de fazer parte oficialmente da Rede de Centros de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, pois vai nos permitir trabalhar em rede junto com outros centros de educação ambiental no Chile para promover o cuidado, a proteção e valorização do Meio Ambiente”.

A organização possui um aplicativo para celulares denominado “RedesAmbientales” e um site para que integrantes e diferentes públicos tenham acesso a informações sobre centros, atividades e documentos de educação ambiental.