Um total de 23 aeronaves e mais de 1.300 brigadistas fazem parte do contingente que a empresa anunciou nesta terça-feira para enfrentar possíveis incêndios nesta temporada de incêndios de verão no Chile.

Diante de mais de 400 representantes da comunidade, serviços de emergência e autoridades, a CMPC mostrou a todos os presentes todos os elementos necessários para poder lidar com incêndios. Além de fornecer detalhes sobre o suporte técnico e humano a ser utilizado, os participantes puderam conhecer de perto os recursos aéreos da CMPC.

Para o combate eficaz a incêndios rurais, a CMPC se preparou com antecedência, garantindo todo o equipamento necessário para enfrentar esses eventos da melhor maneira possível. Para isso, a empresa conta com 9 aviões-tanque para combate inicial, com capacidade de 3 mil litros para lançar água e retardante; 2 aviões de coordenação, 12 helicópteros e 179 brigadas, divididas em brigadas terrestres, cisternas, mecanizadas, femininas de interface, múltiplas funções e florestais, totalizando 1.326 brigadistas equipados e treinados para o combate a incêndios.

Quanto aos 12 helicópteros disponíveis, a maioria dos quais foram exibidos, inclui:

  • 1 AirBus 355 F para direção e coordenação de incêndios
  • 7 Bell médios 212 e 412, para transporte de brigadistas e lançamento de água, com capacidade de 1.200 litros
  • 4 helicópteros grande com capacidade de lançamento de mais de 4.000 litros e transporte de 15 brigadistas cada:
    • 2 super Puma
    • 1 Kamov
    • 1 Chinook CH-46

Além disso, das 179 brigadas, estas estão divididas da seguinte maneira:

  • 7 brigadas helitransportadas (126 brigadistas)
  • 21 brigadas terrestres (315 brigadistas)
  • 11 brigadas cisternas (99 brigadistas)
  • 8 brigadas mecanizadas (16 brigadistas, com a possibilidade de adicionar até 30 maquinários de operação de colheita)
  • 1 brigada feminina de interface (6 brigadistas)
  • 101 brigadas de múltiplas funções (404 brigadistas)
  • 30 brigadas florestais (360 pessoas).

Dentro do plano detalhado, destacam-se também seis postos de comando equipados com tecnologia e comunicações para incêndios de alto potencial de dano. Em relação ao monitoramento precoce de sinistros, estará disponível tecnologia de teledetecção óptica e via satélite, por meio da plataforma Ororatech (também útil para o acompanhamento da propagação de incêndios). No caso óptico, serão utilizadas 100 câmeras de teledetecção (60 da CMPC e 40 por meio de um convênio com a Corma). Ambos os serviços serão permanentes, 24 horas por dia, 7 dias por semana, durante a temporada.

Além disso, a partir deste ano, haverá um serviço de monitoramento e controle de operações, denominado Heligrafics. Isso se soma às equipes de brigadistas e aeronaves que estarão disponíveis para controlar e monitorar possíveis focos. Vale ressaltar também que tudo relacionado à meteorologia especializada será tratado com Fernando Santibáñez, doutor em Bioclimatologia pela Universidade do Chile.

Acima de tudo, um apelo à prevenção

Durante a apresentação desses recursos, realizada nesta terça-feira na Base de Trilahue, Cabrero, Região de Biobío, um importante centro estratégico da empresa para as tarefas de prevenção e combate a incêndios localizado em Cabrero, o presidente do diretório da CMPC, Luis Felipe Gazitúa, comentou que “esta é uma cerimônia muito significativa porque, por um lado, reflete o trabalho estreito entre o setor público e privado, mas para nós também é muito importante destacar o papel central que os brigadistas têm no combate a incêndios. Eles são, afinal, os protagonistas que realizam essa árdua tarefa.”

Por sua vez, o CEO da Empresas CMPC, Francisco Ruiz-Tagle, enfatizou que “os incêndios se tornam um enorme drama que afeta moradias, florestas, cultivos, animais, empregos e, acima de tudo, as pessoas. E, nesse contexto, na CMPC acreditamos que a única forma de enfrentá-los é se preparar profissionalmente ao mais alto nível e trabalhar em conjunto, de forma coordenada com outras empresas, instituições governamentais e, claro, com a sociedade, nossos vizinhos.”

Enquanto isso, a secretaria regional ministerial (SEREMI) de governo do Biobío, Jacqueline Cárdenas, indicou que “sem dúvida, os recursos são importantes, mas também o trabalho conjunto. Esses recursos, se não forem planejados, se não forem trabalhados com vocês (a comunidade), são sempre insuficientes. Fazer o apelo para cuidar de nós, fazer o apelo para esta brigada e cumprimentá-los, empatizar com eles.”

Por fim, o prefeito de Cabrero, Mario Gierke, destacou a importância do marco: “Valorizar o trabalho que a empresa privada realiza no município de Cabrero. Também é importante para nós que este ponto de trabalho e logística seja no município, obviamente não trabalhando apenas para o território, mas para a região como um todo e muitos outros. O apelo é para a prevenção, para trabalhar de forma articulada. Aqui, todos são necessários para alcançar o objetivo.” Além da máxima autoridade do município de Cabrero, também participaram representantes de outros municípios da região do Biobío, como Lumaco, Nacimiento, Pemuco, Ercilla, Negrete, Yumbel, San Javier, San Nicolas, Loncoche e Collipulli.