May 30, 2022

“Por um Chile mais inclusivo” é o nome do programa que ambas as organizações desenvolverão e que permitirá realizar diferentes iniciativas dentro da fábrica de papel em Til Til para promover a inclusão social dos migrantes em suas dependências.

Nesta quarta-feira, a Servicio Jesuita a Migrantes (SJM) e a CMPC assinaram um acordo que busca facilitar o processo de inclusão dos migrantes que trabalham na empresa. Atualmente, a CMPC está presente em 11 países em todo o mundo e a troca de conhecimentos, experiências e talentos é essencial para seu crescimento e desenvolvimento.

No total, mais de 400 colaboradores da CMPC são migrantes e cada ano chegam mais. Por isso, a empresa ressaltou que uma parte fundamental da sua cultura é focada no valor do respeito e do cuidado com as pessoas, independentemente da nacionalidade, origem ou religião, com base em sua Política de Diversidade e Inclusão. Por isso, explicam que promover espaços de comunicação, encontro e intercâmbio cultural entre todos os que compõem a CMPC é parte essencial da Companhia.
A diretora nacional do Servicio Jesuita a Migrantes, Waleska Ureta, enfatizou o trabalho conjunto que deve ser realizado entre todos os atores da sociedade para promover a inclusão, ressaltando esta iniciativa realizada em conjunto com a CMPC. “Na qualidade de Servicio Jesuita a Migrantes, esta parceria nos enche de orgulho, não só por termos a certeza de que, em rede, juntos, somos mais fortes para impulsionar as mudanças que o tratamento dos direitos dos migrantes requer, mas também por ser uma grande esperança para eles e elas. Isto porque, enquanto avançamos na sua inclusão, é o seu futuro e suas vidas que estão em jogo”, afirmou.
A Fundação Servicio Jesuita a Migrantes (SJM) promove e protege a dignidade e os direitos de migrantes e refugiados no Chile, acompanhando seu processo de inclusão social, através de um modelo de trabalho multidimensional e incidindo na sociedade para que seja reconhecida a riqueza da diversidade humana.
O capelão do SJM, Cristián del Campo, qualificou esta parceria como uma grande notícia que, para quem trabalha na fábrica de papel, poderá conhecer outras realidades. “O que está sendo lançado oficialmente hoje nesta fábrica é uma tremenda notícia. Este será um lugar onde o encontro e o conhecimento serão privilegiados, e onde poderemos deixar de lado os preconceitos ao nos encontrarmos pessoalmente e conhecermos nossas histórias. Acredito que essa planta e esse programa podem ser muito significativos para o restante das empresas que têm um papel de liderança como a CMPC”, destacou.

 

Por sua vez, Luis Felipe Gazitúa, Presidente das Empresas CMPC, destacou a importância que tem a troca de conhecimentos no crescimento da empresa. “A multiculturalidade é enriquecedora. Amplia os horizontes e a forma de pensarmos, promove a inovação e a criatividade das pessoas e gera mais sinergias entre as equipes. Incorporar pessoas com diferentes culturas, tradições e visões nos faz sermos quem somos, uma empresa global, inserida em um mundo diverso e sem fronteiras. Trabalhamos diariamente para que exista mais respeito, integração e tolerância entre as pessoas. Porque a diversidade é parte do nosso desenvolvimento”.
O programa “Por um Chile mais inclusivo” que ambas as organizações desenvolverão inclui uma série de iniciativas dentro da fábrica da CMPC em Til Til, no Chile, para promover a integração social dos migrantes. Esta iniciativa inclui um ciclo de capacitação das equipes, atividades na fábrica de papel, e a entrega de material educativo e de conscientização sobre a interculturalidade na CMPC, entre outros.