Conservação de Ecossistemas e Biodiversidade

Assumimos um compromisso de conservação e proteção de ecossistemas e biodiversidade, mantendo hectares de bosque nativo, protegendo bacias, cursos de água, flora e fauna, e restaurando. Esta última, a entendemos como a atividade que inicia ou acelera a recuperação de um ecossistema, melhorando o estado de conservação, recuperando espaços degradados e aumentando o fluxo de bens e serviços ecossistêmicos.

Nossa meta corporativa para o desenvolvimento sustentável em matéria de conservação é somar 100 mil hectares de conservação, proteção e/ou restauração para o ano 2030, aos mais de 320 mil hectares que a Companhia mantém na Argentina, no Brasil e no Chile.

Desempenho ano 2019 Porcentagem de avanço Meta 2030
4.466 ha 4,47% 100.00 ha

Superfície de conservação, proteção e restauração em Ha, e contribuição por país

2016 2017 2018 2019
Superfície total     321.529 325.995
Argentina 6% 6%
Brasil 42% 43%
Chile 52% 51%

Ao mesmo tempo, assumimos com a certificação de Manejo Florestal Sustentável, no Brasil e no Chile, um compromisso voluntário de restauração para o 2026:

Avanço de cumprimento de compromisso de restauração em Ha

  Compromisso para 2026 Restaurado 2010-2018 Restaurado 2019 Avanço
Total 73.824 33.638 12.864 63%
Brasil 65.086 31.648 12.466 68%
Chile 8.738 1.890 398 26%

Também gerimos Áreas de Alto Valor de Conservação, AAVC, que são zonas que apresentam características ou atributos relevantes, únicos, significativos ou críticos para o seu entorno natural (HCVRN, 2005). Sua identificação e adequada proteção corresponde a um compromisso associado às certificações de Manejo Florestal Sustentável.

AAVC: número, superfície em Ha e tipos

2018 2019
  418 26.462 432 28.317,8
Biológicas 26 85% 26 86%
Serviços 364 14% 378 13%
Socioculturais 28 0,8% 28 0,8%

Orientações para a conservação das AAVC:

1. Prioridade no combate de incêndios
2. Proibição do uso de fogo em seu interior e nos setores vizinhos
3. Proibição de pesca, caça, exploração ou qualquer atividade ilegal em seu interior
4. Coordenação com cientistas e especialistas para o monitoramento de atributos críticos de conservação
5. Limpeza do entorno das espécies endêmicas
6. Comunicação e divulgação em comunidades locais em relação às AAVC
7. Capacitação do pessoal interno sobre os cuidados das AAVC
8. Divulgação através de folhetos informativos e cartazes das AAVC
9. Instalação de cercas nos acessos e sinalização no terreno

Incêndios Rurais

Noventa e nove por cento dos incêndios florestais são causados pela atividade humana, seja por descuido, negligência, práticas de queimada agrícola ou intencionalmente. Portanto, o mais importante no combate de incêndios é a prevenção de sua ocorrência e a proteção da vida das pessoas. Nossa estratégia de prevenção prioriza os incêndios de interface, pondo os esforços da prevenção na comunidade residencial, na silvicultura preventiva e no uso de tecnologia de ponta.

As condições mais propensas a provocar um incêndio são temperaturas superiores a 30°C, umidade relativa inferior a 30% e uma velocidade do vento de mais de 30 km/hora: uma combinação de condições denominadas como ’30 -30-30′.

Número de focos e superfície afetada por incêndios em Ha

Temporada 2016- 2017 Temporada 2017-2018 Temporada 2018-2019
744 focos 19.722,7 ha 988 focos 2.554,6 ha 1.092 focos 3.328,7 ha
Argentina 4% 0,01% 4,6% 1% 1,8% 0,08%
Brasil 16% 1,3% 23% 52% 13,9% 3,3%
Chile 80% 98,5% 72% 47% 84% 96,5%